O que é nômade digital e como superar seus principais desafios

Para entender melhor o que é ser nômade digital, podemos começar quebrando as palavras e definindo o que é ser “nômade”. Nômade é alguém que não tem habitação fixa, que vive constantemente mudando de lugar.

O que significa ser nômade digital?

Nômade digital é apenas a extrapolação desse conceito para uma era mais atual, em que o trabalho remoto possibilita viver uma vida, independente de localização, desde que tenha internet.

Isso é uma quebra de paradigma muito grande porque libera nossa mente de diversas crenças limitantes como, por exemplo, acharmos que estamos presos a uma única cidade ou país quando, na verdade, a tão temida fronteira nada mais é uma linha imaginaria acordada mutuamente entre um grupo de pessoas.

Quando se fala de nomadismo, algumas dúvidas acabam surgindo no meio do caminho, principalmente sobre um ponto que costuma ser de extrema importância para o ser humano: moradia.

Onde morar quando você deixa de pertencer à algum lugar? Como encontrar uma casa segura para ficar em um país que até alguns meses atrás você nem sabia que existia?

A resposta varia bastante dependendo do seu objetivo com a viagem, do seu orçamento, de quanto tempo pretende ficar em cada lugar e outros diversos fatores que são importantes levar em conta para um bom resultado de custo/ benefício em sua jornada.

Como encontrar moradia em qualquer lugar do mundo sendo nômade digital?

Se você está indo sozinho e vai ficar uns dois meses ou mais no mesmo lugar, é bem interessante você procurar em grupos de facebook da região. É um pouco mais trabalhoso mas vai te poupar um belo dinheiro no “longo prazo”.

Agora, se está acompanhado e pretende passar 20/30 dias, é mais interessante ficar em um Airbnb. Seja pela maior privacidade, quanto a disponibilidade imediata de uma moradia, o Airbnb é sempre uma boa opção.

É importante lembrar que diversas casas oferecem desconto para locação mensal. Quando fomos para Turquia, alugamos uma casa por um mês e ficou R$1.000,00 mais barato que por 20 dias.

Nomâde digital usa o AirbnbPara quem não conhece, o Airbnb é uma plataforma onde você pode alugar uma casa ou um quarto em praticamente qualquer lugar do mundo. Então se você nunca usou e se interessou, aqui está R$179,00 de desconto pra você experimentar.

E claro, tem o cenário mais low cost, onde você abre mão de uma experiência mais confortável de trabalho e escolhe um hostel pra sua visita por aquele país. Um ponto excelente dessa última alternativa é que, além de ser uma opção bem mais econômica, é excelente para fazer networking.

Fiz um podcast contando algumas dicas de como economizo na hora de escolher onde ficar, clique aqui para escutar.

Fazer home office ou trabalhar de um coworking?

Outro ponto que pode gerar preocupação é onde trabalhar, e deixo aqui algumas opções para garantir uma internet de qualidade em diversos cenários. No caso de locar um Airbnb, mesmo que esteja sinalizado que a casa tem wi-fi, sugiro entrar em contato com o proprietário perguntando sobre velocidade ou algum tipo de especificação técnica.

Fora isso, dependendo do seu perfil de trabalho, muitas vezes é interessante procurar um espaço de cowork na cidade em que você está, ou até mesmo um café. Em caso de falta de internet, diversas operadoras da Europa oferecem planos de dados ilimitados (4G) por um valor bem justo.

Optar por um cowork acaba sendo a melhor opção por diversos motivos: ajuda a ativar o seu “modo trabalho”, internet melhor e mais estável, ambiente propício para novas ideias e o mais importante, networking.

A única coisa é: tudo vem com seu preço. Se optar por essa opção, esteja preparado para desembolsar uma graninha, que pode variar de €150 à €300 por mês, pelo menos aqui na Europa, principalmente do lado oeste.

É muito caro viver fora do país?

Por fim, o que eu acredito que seja o maior obstáculo e que impede muitas pessoas de partirem em uma jornada dessas: a questão financeira. E é aqui que a coisa fica interessante, de todos os pontos a se preocupar, esse é o mais irrelevante.

Na maioria dos casos, se você consegue se manter no Brasil com o seu trabalho, vai ser possível se manter em praticamente qualquer lugar do mundo, basta apenas um reajuste de prioridades.

No pior dos casos, tem plataformas que te ajudam a trocar seus serviços (dos manuais aos mais técnicos) por hospedagem gratuíta em hosteis de diversos lugares.

Outro ponto é, por incrível que pareça, o Brasil tem uma moeda que é mais forte que a de vários países. Então você pode se aproveitar de um conceito chamado ‘arbitragem geográfica’, que é receber em uma moeda que vale mais do que a moeda com a qual você está vivendo.

Eesse hacking financeiro também funciona dentro do Brasil, trabalhando para empresas de uma cidade grande, vivendo no interior. Desse jeito é bem mais fácil balancear suas finanças e até, quem sabe, guardar uma boa grana.

Enviando dinheiro pra fora do país

Se aproveitar da arbitragem geográfica significa, muitas vezes, ter uma troca constante de moedas, e tem diversas formas de fazer isso. Desde o famoso VTM (Visa Travel Money) e similares, até um cartão de crédito normal.

Também há algumas alternativas mais higtechs como criptomoedas. Eu acabei optando por uma alternativa um pouco mais prática, a Borderless Account da TransferWise.

A TransferWise é uma fintech inovadora que facilita demais o envio de dinheiro entre países, com uma taxa de câmbio excelente, te poupando dinheiro e tempo. Se você precisa mandar dinheiro pra fora, clique aqui para garantir um desconto nas tarifas para transferir até R$500,00.

Quando você cria sua Borderless Account, você ganha um cartão de débito no qual você pode gerenciar diversas moedas diferentes para usar em quase todos os países do mundo. Tudo com apenas alguns toques no aplicativo.

Infelizmente esse cartão só pode ser enviado para endereços na Europa ou nos Estados Unidos, mas não se preocupe, você pode utilizar serviços de redirecionamento de encomenda e ainda ter o seu sem problemas.

E você, tem curiosidade de entender melhor esse estilo de vida?

Deixe suas dúvidas nos comentários aqui em baixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *